O começo de uma jornada

Resolvi criar esse blog pra ser mais uma ferramenta na minha constante batalha contra a balança, pois: CANSEI DE SER FOFA! Quero ir até o fim dessa vez, quero dizer, nesta dieta. Então, vou contar a vocês toda minha saga desde o início.
Quando eu era criança, não era uma criança gordinha. Era normal. Na adolescência também. Mas com uns 15 anos, eu já trabalha, não fazia mais nem a educação física básica da escola, fui começando a ficar cheinha. Mas isso não me incomodava, não era muita coisa, nunca me atrapalhou, além disso, qualquer simples dieta era o suficiente para eu emagrecer.
Mas... sempre tem um mas... Eu fiquei grávida aos 21 anos e despiroquei de vez. Na gestação engordei 17 quilos!!! Foi uma gravidez muito feliz, todos à minha volta, fazendo todas as minhas vontades, me enviavam comidinhas especiais todos os dias. Eu como não tinha muita orientação em realação a isso, enfiei o pé na jaca e deu no que deu: 17 quilos a mais.
Depois que meu amor nasceu, ainda consegui emagrecer tudinho, só amamentando. Só que daí, eu já tinha me acostumado a comer muito. E depois que parei de amamentar, continuei comendo muito só que agora engordando.
Engordei bastante e cheguei a uma fase crítica, estava muito infeliz com aquele peso e isso começou a atrapalhar minha vida, ficava triste, chateada, brigava com o marido, não comprava roupa.
Resolvi dar uma basta nisso: procurei um endocrinologista. Ele, claro, me passou remédios e uma dieta. Tomei Dualid S e outro que acelerava o metabolismo. Que época áurea, emagreci a rodo, vários quilos por mês, saí do 63 para o 55. Essa felicidade durou alguns meses, viagei, comprei roupa, fui muito feliz. Mas depois de uns 6 meses comecei a ter depressão. Esses remédios acabaram comigo, ficava irritada, nervosa, triste, chorava o tempo todo, não tinha mais vontade de brincar com meu filho. Uma barra. Decidi que nunca mais tomaria esses remédios para emagrecer.
Mas... novamente o mas... Engordei de novo, óbvio. Depois de fazer tratamento para a deprê, melhorei e a vida seguia normalmente. E eu ia viajar. Depois de tentar dietas malucas, me inscrever e parar várias vezes a academia, decidi apelar: fui novamente ao endocrinologista. E da-lhe Sibutramina desta vez. Bem mais ligth, emagreci bem menos, mas foi o bastante pra eu viajar numa boa. Porém, mais uma vez, o efeito colateral: irritação, insônia, taquicardia e depressão. E o pior de todos: engordar tudo de novo.
Claro que cheguei a conclusão que esses remédios não valem à pena. Nunca mais quero usá-los. Depois que se tem filhos, o metabolismo do corpo da mulher não é mais o mesmo e precisamos ser mais persistentes para emagrecer. Por isso estou aqui, buscando apoio. Amanhã, segunda-feira, dia mundial da dieta, irei começar a minha nova. Como já fiz Vigilantes do Peso, um sistema ótimo e que realmente funciona, vou começar por aí. E vou fazer exercício também. Amanhã postarei meu cardápio da semana pelo sistema de pontos. Atualmente, não sei quanto estou pesando, mas vou resolver isso também e postar aqui. Então é isso, amanhã começa uma nova jornada, sem remédios, só exercícios e dieta. Conto com a ajuda de todo mundo que resolver ler este diário.
Beijo e até Amanhã!


Camila

4 comentários:

Monica disse...

Camila! Passei para te desejar boa sorte. Estou torcendo para vc alcançar seu objetivo.
bj

Iguinho disse...

Camila,
como havia te prometido, não vou postar comentários sacanas. Mas você sabe que as vezes eu gosto de jogar uma piadinha, nada tão pesado assim, coisa leve, tão leve quanto você daqui a alguns dias. Cinseramente, boa sorte!
De seu querido irmão que costuma estar na sua casa aos finais de semana.
Igor, ou melhor, Iguinho (não é dessa maneira que você me chama?).

Camila Camilinha disse...

ô Iguinho, obrigada pela força!
Bem, vc pode continuar vindo pra cá nos fins de semana só que agora não comeremos mais pizza à noite! rsrs
Bjusss

Camila Camilinha disse...

Mônica,
Obrigada!
Vou precisar da força e da torcida de todos pra seguir até o fim!
Valeu, menina!

Postar um comentário